Publicado em

Os Animais de Poder

animais

Animais de Poder é um importante fundamento do Xamanismo. Uma filosofia que nasceu por meio das tradições e crenças de tribos do mundo todo com práticas de cura, de espiritualidade e de comunhão com a natureza.

Portanto, quando estamos alinhados com os conhecimentos sagrados da natureza, nos tornamos capazes de aumentar o nosso poder pessoal, nossa autoconfiança e a capacidade de levar uma vida mais equilibrada e consciente.

Os Animais de Poder podem ser compreendidos como um arquétipo, uma energia de guiança e de despertar do poder pessoal. Eles trabalham nossa energia instintiva e vital, nossa força e nossa “garra”.

O despertar do Animal de Poder abre uma conexão profunda com todo o seu poder pessoal ainda não utilizado. Em outras palavras, os animais são grandes professores, cada um carrega uma simbologia singular, traz qualidades, mensagens e ensinamentos. 

Todos são importantes e podem ser apresentados diante de um momento específico da nossa vida. Eles despertam os dons a serem desenvolvidos e aprimorados, também nossa conexão espiritual e cura é tudo aquilo que nos traz autoconhecimento e nos reconecta a nossa essência. Dentro da natureza, não há animal mais ou menos importante: todos são de igual valor. 

Todos os animais que existem na natureza são Animais de Poder por serem seres divinos, criados por Gaia. Cada um deles carrega sua especificidade, sua força e seus conhecimentos.

Aqui na Casa de Miguel, buscamos esclarecer esse e outros assuntos, oferecendo um nível de aprofundamento interessante em nossos cursos. Conheça mais clicando aqui.

Publicado em

A Importância do Auto Passe

auto passe

O auto passe é um processo de limpeza dos nossos corpos sutis. Nesse texto explicamos quais são e quais as funções dos nossos Sete Corpos.

Os Corpos

Nesse momento é importante lembrarmos apenas de cinco deles: 

O Corpo Físico é o corpo que vemos, a carne, onde habita nosso espírito. É a parte densa do nosso ser e a única parte que é “mortal”. Tanto esse corpo quanto os outros precisam de nutrição, cuidados e tratamentos.

Os próximos quatro fazem parte do “Espírito”, são os corpos sutis que sustentam o Corpo Físico.

O Corpo Vital é um corpo fluídico onde percorre nossa energia vital através dos chakras. Os chakras são pontos de troca energética que sustentam o funcionamento de órgãos e glândulas.

O Corpo Emocional é a inteligência que comporta e administra nossos sentimentos e emoções. Aqui também ficam registrados traumas e memórias afetivas.

O Corpo Racional é o idealizador e o mantenedor de pensamentos e reflexões. É a parte responsável pelo intelecto, englobando as percepções dos cinco sentidos e dá forma às ideias. 

O Corpo Intuitivo se conecta com a nossa alma. É a parte onde nossa moral e caráter estão armazenados. O que nos guia de uma forma mais material, o certo e errado que você sente “em seu coração”.

Esses Corpos Sutis fazem então a conexão do “mundo externo” com o nosso interior, como um filtro.

Então, se usarmos como exemplo um filtro de água, se ele está sujo pode poluir a água. Por outro lado, um filtro limpo melhora a qualidade da água. E essa é a importância do auto passe.

Em outras palavras, podemos dizer que para um bom funcionamento da comunicação entre os corpos, é essencial que estejam em equilíbrio. Pois toda a desarmonia que houver será refletida no sistema orgânico, ou seja, somatiza no físico. 

Somatização

Nesse texto explicamos o que é a somatização. Somatizar significa transbordar energias dos corpos sutis para o corpo físico, ou vice e versa. Essa palavra geralmente está associada à materialização de doenças, mas também pode ser a materialização da saúde que ocorre após alterações energéticas dos corpos sutis.

Portanto, o auto passe é importante para mantermos nossos Corpos Sutis limpos para que eles influenciem positivamente nosso Corpo Físico. O auto passe nada mais é do que um processo de limpeza energética de tudo o que é captado no exterior e gerado no nosso inconsciente.

Se você deseja aprender a fazer um auto passe ou até mesmo realizar essa limpeza em seus familiares, conheça o curso Início da Mediunidade e aprenda melhorar seu bem estar.

Publicado em

O Livre Arbítrio

Livre Arbitrio

Livre arbítrio é o poder que cada indivíduo tem de escolher suas ações, que caminho quer seguir. É a capacidade de escolha autônoma realizada pela vontade humana. O livre arbítrio também defende que a pessoa tem o poder de decidir as suas ações e pensamentos segundo o seu próprio desejo, crença e valores.

Liberdade

Denotam a vontade livre de escolha, as decisões livres. Em outras palavras, para algumas pessoas o livre arbítrio significa ter liberdade, e muitas vezes confundem com desrespeito e falta de educação.

No entanto, Santo Agostinho em sua obra De Libero Arbitrio de 395, diferenciou claramente esses dois conceitos. O livre arbítrio é a possibilidade de escolher entre o bem e o mal enquanto que a liberdade é o bom uso do livre arbítrio. 

O livre arbítrio é uma das propriedades fundamentais do ser. Consiste na liberdade de fazer ou não alguma coisa, seguir um determinado caminho ou evitá-lo.

Isso significa que nem sempre o homem é livre quando põe em uso o livre arbítrio, mas tem o poder da escolha. Assim, o livre arbítrio está mais relacionado com a vontade, um ato ou ação.

Karmas

Quando encarnamos, existem coisas que precisamos passar e experienciar, que são os nossos karmas. São processos e situações que precisamos vivenciar para aprendermos algo. A forma como reagimos a essas situações determinam se essa situação continuará como karma (algo a ser aprendido) ou como dharma (lição aprendida).

E a nossa reação a essas situações estão totalmente sob o nosso controle, é a nossa forma de lidar com aquilo. Em outras palavras, é nosso livre arbítrio na prática. A nossa reação não está pré-determinada. 

Essa capacidade de escolher, ir ou ficar, é de nossa responsabilidade. É nossa decisão de acordo com a nossa consciência, nossa vontade e nossa compreensão sobre aquele assunto.

Os atos praticados não foram predeterminados e por isso cada pessoa é responsável pelas suas escolhas. Desta forma, o livre-arbítrio é desenvolvido juntamente com o desenvolvimento da inteligência e implica um aumento pela responsabilização dos atos praticados.

Consequências

Tudo é uma via de mão dupla, nossas decisões causam consequências. Independente dos nossos karmas, das situações que temos que passar, todas as nossas decisões têm consequências. Ou seja, precisamos arcar com a responsabilidade dos nossos atos.

A forma como lidamos com nossos karmas nos permite transformá-lo em dharma ou mantê-lo como karma.É o nosso poder de escolha de ser e fazer o que quisermos. É a energia de construção concedida diretamente por Deus. Você pode escolher criar, destruir, não fazer nada… Você pode tudo.

Essa é a mais simples e clara demonstração divina que somos criadores como Deus. Com o livre arbítrio podemos fazer o que quisermos. Inclusive não acreditar em nada, não fazer nada, não seguir religiões e doutrinas, não ajudar o próximo.

Escolhas totalmente pessoais. Você pode até permitir ser influenciado por outras pessoas, mas você escolhe ser influenciado. 

Somos capazes de tomar decisões e sermos quem somos. É a liberdade de escolher sermos quem somos. Portanto, valorize-o e seja consciente de suas escolhas. Saiba o que está escolhendo para si e entenda que suas decisões têm consequências.

Seja quem quiser ser e siga seu coração. Não permita que os outros digam quem você deve ser ou o que deve fazer. Seja plena e livremente a unicidade que você é.

Publicado em

O Poder da Somatização

somatizar

Você sabe o que é somatização e como funciona esse processo? Normalmente quando vamos estudar sobre metafísica, o conceito de somatização fica muito claro.

Não sabe nem o que é metafísica? Calma! Metafísica significa “para além do físico” em grego antigo. É o estudo dos fenômenos físicos, relacionando-os com seus fundamentos sutis, partindo do princípio que a matéria é uma consequência de matrizes energéticas.

Ou seja, a metafísica é o resultado ou explicação da somatização. Estudar a metafísica é a mesma coisa que entender a condensação de uma energia, em outras palavras a somatização de uma energia.

Por exemplo, para cada doença existe uma causa emocional ou energética. A doença é a somatização de uma causa e o estudo dessa causa é a metafísica.

Somatizar significa transbordar energias dos corpos sutis para o corpo físico, ou vice e versa. Essa palavra geralmente está associada à materialização de doenças, mas também pode ser a materialização da saúde que ocorre após alterações energéticas dos corpos sutis.

Ou até na repetição física de coisas positivas ou negativas que transformam nossos corpos sutis.

Nosso ser tem poder de magnético muito forte. Somos capazes de atrair e repelir realidades dependendo da nossa vontade e determinação. Se você quer aprofundar seus conhecimentos nesse poder, clique aqui e conheça nossos cursos.

Publicado em

REACT: The OA

react

ATENÇÃO, ESSE TEXTO CONTÉM SPOILERS!

The OA é uma série bem misteriosa, com crimes e experiências de quase morte, dimensões paralelas e simbologias, lançada pela Netflix em 2016. 

Quando começamos a acompanhar a história de The OA, fomos conduzidos por uma narrativa que parecia ser essencialmente mística. A personagem principal, Prairie, conduz um grupo de desconhecidos até uma espécie de clímax sensorial ao compartilhar sua história e suas experiências de quase morte.

Quando a série estabeleceu que às vezes a noção de morte é apenas uma passagem para outra realidade, estava, na verdade, tomando um caminho muito interessante. Não estávamos diante apenas de planos místicos e sim de realidades múltiplas e dimensões paralelas.

Na primeira temporada, Prairie apresenta teorias sobre a vida e insinuava que com as experiências de quase morte, ela tinha acesso a movimentos que tinham poderes. Só com isso dá para sabermos que tem muita coisa para analisarmos nessa série, certo? 

Uma das teorias trabalhada é a ideia de que tudo o que precisamos saber já está dentro de nós. As experiências de quase morte mostram caminhos para que ela possa escapar da sua realidade e ser “livre”.

Com isso é inserido um conceito de “anjos originais”, em inglês “originals angels”, que é na verdade o nome da série. Como Anjos Originais, eles possuem um conhecimento avançado sobre a realidade e podem assim abrir portais para outras dimensões com movimentos numa espécie de coreografia.

Esses Anjos Originais possuem guardiões, no caso de Prairie trata-se da deusa Khatun da mitologia eslava. Nas viagens interdimensionais, são passados aos grupos esses tais movimentos. O grupo passa boa parte do tempo decorando a coreografia e tentando descobrir para que servem e o que significa.

Um exemplo muito claro disso é no quinto episódio quando estão ensaiando um dos movimentos e “magicamente” um dos personagens que estava morto com lacerações extremas, se cura e volta a vida. Ou seja, as informações que ela recebe como Anjo Original dá a ela (e a quem tiver esses conhecimentos) o poder de fazer coisas inexplicáveis como a cura plena.

A segunda temporada estabelece de modo claro a sua mitologia: as pessoas que quase morreram têm acesso a um campo de visão diferente e os movimentos feitos por elas que abrem uma espécie de portal desse multiverso possibilita que façam muitas viagens entre realidades.

A série foi cancelada e deixou muitas perguntas sem respostas para os telespectadores. E por isso queríamos te convidar a refletir sobre a capacidade do ser humano da autogestão energética, viagem entre dimensões e principalmente sobre esse despertar.

Aqui na Casa de Miguel, além de estudarmos sobre o poder dos Arcanjos, prezamos também pelo autoconhecimento e o desenvolvimento de cada um para cuidar de si e do próximo. Clique aqui e conheça nossos cursos.

Assista também o React de The OA pelo FacebookInstagram e Youtube! Todo mês analisaremos um filme novo, não deixe de acompanhar!

“Talvez o futuro seja só a escuridão mas não uma escuridão ruim… E viver é trazer luz a cada dia, a cada momento que vivemos.”